Pimenta Alecrim Palavra - Sonia Guzzi

MEU OUTRO BLOG - SONIA GUZZI
- Meu e-mail: soniaguzzi@hotmail.com

domingo, 2 de outubro de 2011

Luto



Morreu seu Juca da banca de revistas.

Hoje o pequeno quiosque de notícias está fechado.

Enroscada entre dois pilares, uma única faixa preta sem pudor ou reserva diz: "luto, seu Juca morreu.”

Ignorando a manhã que acordou silenciosa na pequena cidade, seu Juca partiu.

Deixou o cão três patas, que em virtude de um atropelamento recebeu o apelido e acolhido e tratado pelo homem compassivo, a ele ficou afeiçoado. Agora ali, deitado perto do banco de cimento ao lado do pequeno quiosque, seus olhos manchados com uma sombra de dor, alcança quem se aproxima, produzindo no peito uma leve fisgada de saudade.

Morreu seu Juca da banca de revistas.

No balcão perto da caixa registradora, dentro de um diminuto recipiente de acrílico ficou a gravura de uma folha de bordo vermelho, pois o homem sonhador esperava um dia conhecer o Canadá, e aquela lembrança, inspirava seus dias de possibilidades e esperança.

Ficou também a intenção de um filho desejado, perdido entre rusgas cotidianas, beijos apressados, compras adiadas e sonhos desistentes. Deixou entre dias passados também seus segredos, que assim sendo, deverão permanecer, enroscados num tempo sorrateiro, disfarçado entre sois e luas.

Ficou a rua da praça com seus carros apressados, passos conhecidos e sorrisos matinais.

Ficou também a viúva Leonor, enlutada de choro e mágoa, mas, se me permite uma irresistível indiscrição, seus olhos molhados já escorregam esperançosos em outra direção.

Ficou também a perplexidade dos amigos, a desolação de três patas e também uma chuva fina caindo mansamente durante todo o cortejo, na despedida do vendedor de palavras.

Naquela tarde triste, a terra acolheu seu Juca e a história de um homem bom.

E depois... a noite encobriu o dia...

8 comentários:

  1. Que o Seu Juca possa se reencontrar do "lado de lá" e que os olhos da viúva possam mesmo também encontrar novos horizontes, pois a vida é assim, continua para os que ficam!!!
    Abraços!
    Ivone.

    ResponderExcluir
  2. Olá minha Querida Sonia,

    Seu Juca escreveu sua história, agora se foi deixando tristes aqueles que o tomaram como AMIGO...
    E a terra generosa acolheu seu Juca e a história desse homem bom...
    Obrigada por compartilhar esse momento.
    Abraço carinhoso,
    Regina Coeli

    ResponderExcluir
  3. Que seu Juca descanse em paz!
    Boa smana!

    ResponderExcluir
  4. Querida amiga,

    Tenho certeza que ele está muito feliz em seu novo lar. Seu Juca agora, descansa em paz.

    Tenha uma linda primavera e que a paz de Deus esteja sempre em seu coração.

    Beijos de luz e que seu dia seja perfumado pelo perfume das mais lindas flores.

    ResponderExcluir
  5. Que ele descanse em paz! A vida é assim mesmo. Todos nós temos um tempo e uma história a escrever. Quando acaba, restam as lembranças ...

    ResponderExcluir
  6. E rodeados de interrogações, ficam aqueles que num instante da vida são pegos de surpresa pela ausência e vazio que pessoas queridas e amadas deixam. Que ele esteja na paz de Deus!
    Fiquei um tempo afastada de meu blog, mas estou de volta e com muitas saudades de todos que me visitavam. Espero voce novamente em meu espaço!
    Uma ótima semana!
    bjs
    Borboleta

    ResponderExcluir
  7. Essa é a única certeza da vida... a passagem.
    Compartilhando.
    bjs.

    ResponderExcluir
  8. Oi Sonia,
    Você foi me visitar e eu estou aqui muito feliz de conhecer o seu blog.Li vários posts e adoro poesia.Fiquei muito encantada com a delicadeza que você descreveu a morte de seu Juca...palavras de tristeza e encantamento.Os detalhes nos aproximam da historia.Já estou te seguindo e voltarei sempre para me inspirar por aqui.Beijocas

    ResponderExcluir